Em 2003, a Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) instituiu o dia 27 de novembro como o Dia Nacional de Educação a Distância.

A modalidade a distância na educação brasileira foi normatizada pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96), sendo regulamentada através de vários Decretos, sendo o último de dezembro de 2005.

O número de alunos que aderiram ao sistema de ensino a distância (EAD) no Brasil já soma mais de 3,5 milhões de estudantes. Os dados são do Censo EAD.BR 2011, divulgado no 18° Congresso Internacional de Educação a Distância em São Luís (Maranhão).

A maioria dos cursos ministrados a distância (56%) são livres, não precisam de autorização do MEC (Ministério da Educação) para funcionarem. São cursos de  atualização ou aperfeiçoamento pessoal ou de aprimoramento profissional. Neles estavam matriculados, em 2011, 2,7 milhões de estudantes (77,2%).

Nos livres, as áreas de conhecimento mais procuradas são Administração e Gestão, Educação e Ciências da Computação.

Entre os 3.971 cursos autorizados pelo MEC, a maior parte dos matriculados estão no ensino superior (75%). A pós-graduação responde por 17,5% dos estudantes – inclusos aí mestrados, MBA e outros lato-sensu.

O restante dos matriculados, 7,5%, estão divididos entre cursos de ensino fundamental, médio e técnico.

A Educação a Distância (EAD) mostra-se, cada vez mais, como uma ferramenta eficiente na democratização do conhecimento, devido ao seu potencial de facilitar o acesso aos processos de aprendizagem, reduzindo barreiras geográficas, de tempo e de custo.

Anúncios