Início

Últimos dias de inscrições

Deixe um comentário

Não deixe passar esta oportunidade!

Acesse: portal.ead.senasp.gov.br

Dúvidas estamos a disposição no Telecentrofoz.

Contatos:

Fone:: (45) 2105-9673/ 35736720

Facebook: Telecentrofoz GM

Twitter: @Telecentrofoz

Blog: Telecentrofoz@gmail.com

 

Anúncios

Sistema e Gestão em Segurança Pública – SGSP

Deixe um comentário

Telecentrofoz divulga cursos da Rede EAD Senasp/MJInscrições abertas de 11 a 20/05/2018 e início das aulas no dia 19 de Junho.

Modalidade: a distância

Carga Horária: 60 h/a

Apresentação

SGSP Esse curso articula a história das instituições de segurança pública, o conhecimento prático dos profissionais da área e o cenário atual da sociedade brasileira, com o objetivo de promover uma gestão estratégica, fundamentada na modernidade, na integração e na democracia, que possa subsidiar um ‘modelo de gestão’ de segurança pública baseado na premissa da participação cidadã e da valorização, respeito e promoção dos direitos humanos.

Público de Interesse
O curso se destina a qualquer profissional da área de segurança pública, bem como aos profissionais administrativos que atuam nessas instituições.

Requisitos
Este curso não exige que tenham sido realizados cursos anteriores na Rede EaD SENASP.

Recomendações
Recomenda-se que você tenha disponibilidade de 5 a 7 horas por semana para leitura dos módulos e materiais complementares, pesquisas, realização de exercícios e interação com tutor e demais estudantes.

Conteúdo Programático
Módulo 1- A Constituição da Organização Policial no Brasil
Módulo 2- O Sistema Brasileiro de Policiamento
Módulo 3- Gestão de Segurança Pública
Módulo 4- Minas Gerais: O Arranjo Institucional do Sistema de Segurança Pública: Um caso a ser estudado

Referência Bibliográfica
BALESTRERI, Ricardo. Qualificar o processo qualificando a pessoa: algumas contribuições à reflexão sobre capacitação de operadores policiais. 2006. Disponível em: <www.sp.df/sites> Acesso: em 30Maio2007.
BATISTA,Emerson de Oliveira. Sistema de Informação: O uso consciente da tecnologia para o gerenciamento. Saraiva,2006.
BATITTUCCI, Eduardo Cerqueira; CRUZ Marcos Vinícius Gonçalves da; RIBEIRO, Ludmila Mendonça. Criminalidade violenta na região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH): Reflexos nas políticas de segurança.In:XII Congresso Brasileiro de Sociologia, 2005, Belo Horizonte. Anais do XII Congresso Brasileiro de Sociologia, 2005.
BAYLEY, David H. Padrões de Policiamento: Uma análise comparativa internacional. São Paulo: Edusp, 2001.

 

Para se inscrever acesse:

 https://portal.ead.senasp.gov.br/

Segurança Pública sem Homofobia – SPSH

Deixe um comentário

Telecentrofoz divulga cursos da Rede EAD Senasp/MJ. . Inscrições abertas de 11 a 20/05/2018 e início das aulas no dia 19 de Junho.

Modalidade: a distância

Carga Horária: 60 h/a

Apresentação

SPSH Como profissional de Segurança Pública, você deverá conhecer os diferentes grupos sociais, suas necessidades e anseios, para poder exercer, em sua atividade profissional, a defesa e a promoção da cidadania a todos, sem distinção de gênero, orientação sexual, cor, classe social, religião ou etnia. Sendo assim um agente que promove os Direitos Humanos e protege a sociedade em toda sua diversidade. Este curso reúne diversas informações e reflexões destinadas à articulação e ao desenvolvimento de estratégias visando o enfrentamento da discriminação e da violência contra a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), promovendo o respeito à diversidade, pautado nos princípios dos direitos humanos.

Público de Interesse:
O curso se destina a qualquer profissional da área de segurança pública, bem como aos profissionais administrativos que atuam nessas instituições.

Requisitos
Este curso não exige que tenham sido realizados cursos anteriores na Rede EaD SENASP.

Recomendações
Recomenda-se que você tenha disponibilidade de 5 a 7 horas por semana para leitura dos módulos e materiais complementares, pesquisas, realização de exercícios e interação com tutor e demais estudantes.

Conteúdo Programático
Módulo 1- Conceitos e contextualização histórica

Módulo 2- A homossexualidade no contexto jurídico: amparo legal sobre o tema

Módulo 3- O papel do profissional de segurança pública no enfrentamento à homolesbotransfobia

Referência Bibliográfica
ABRAMOVAY, M., CASTRO M.G e Silva, L.B . Juventudes e sexualidade. Brasília: UNESCO Brasil, 2004

BALESTRERI, R.B. Direitos humanos, segurança pública e Ementa EAD 4196411 SEI 08106.002735/2017-58 / pg. 3 Referências Bibliográficas: promoção da justiça. Passo Fundo:Berthier, 2004.

BARBOSA, Bia. Movimento equilibra diálogo e confronto para conquistar direitos. Revista Carta Maior. Disponível em: http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia id=14327. Acesso em: 15 jun 2007

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e Aids. Projeto Somos Desenvolvimento Organizacional, Advocacy e Intervenção para ONGs que trabalham com GAYS e outros HSH/ Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Programa Nacional de DST e Aids. Brasília: Ministério da Saúde. 2005

 

Para se inscrever acesse:

 https://portal.ead.senasp.gov.br

Segurança contra Incêncio – SCIP

Deixe um comentário

 Telecentrofoz divulga cursos da Rede EAD Senasp/MJ. Inscrições abertas de 11 a 20/05/2018 e início das aulas no dia 19 de junho.

Modalidade: a distância

Carga Horária: 40h/a

Apresentação:SCIP

 A utilização do fogo foi imprescindível para a sobrevivência de nossos antepassados pré-históricos. Com o uso empírico de algumas técnicas, eles aprenderam a produzi-lo e a mantê-lo aceso utilizando apenas alguns galhos e folhas secas.

 Daquela época até os dias atuais, o modo como o homem incorporou o uso do fogo em seu dia-a-dia contribuiu de forma signicativa  e sucessiva no progresso que hoje experimentamos.

 Entretanto, quando o fogo escapa ao controle do homem e assume a dimensão de um incêndio, mesmo que em sua fase inicial, se descaracteriza dos propósitos esperados, gera medo e requer a intervenção imediata de uma equipe com capacidade técnica que impeça a sua propagação.

 Por este motivo, como profissional de segurança pública, você precisa compreender como acontece a reação química do fogo e como ele interage com alguns tipos de materiais. Precisa saber também, que os incêndios são tecnicamente definidos por classes específicas, e que para cada uma delas, há um tipo de agente extintor adequado para se usar.

Público de Interesse:

O curso se destina aos profissionais da área de segurança pública e aos profissionais

administrativos que atuam nessas instituições.

Requisitos:

Este curso não exige que tenham sido realizados cursos anteriores na  Rede EAD-Senasp.

Recomendações:

Recomenda-se que você tenha disponibilidade de 5 a 7 horas por semana para leitura

dos módulos e materiais complementares, audição dos áudios, pesquisas, realização

de exercícios e interação com tutor e demais estudantes.

Conteúdo Programático:

Módulo 1 – Teoria do fogo

Módulo 2 – Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio

Módulo 3 – Sistemas básicos de proteção ativa contra incêndio

Referências:

ABNT  –  Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 12693:2010  –  Sistema de proteção por extintor de incêndio.

ABNT  –  Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 13434-2  –  Sinalização de segurança contra incêndio e pânico. Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores.

ABNT  –  Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 13860:1997  –  Glossário de termos relacionados com segurança contra incêndio.

ABNT  –  Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 14276:2006–  Brigada de incêndio – Requisitos.

ABNT  –  Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 14277:2005  –  Instalações e Equipamentos para treinamento de combate a incêndio – Requisitos.

ABNT  –  Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15808:2010  –  Extintores de incêndio portáteis.

ABNT  –  Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15809:2010  –  Extintores de incêndio sobre rodas.

SEITO, Alexandre Itiu. Et alii. A Segurança Conta Incêndio no Brasil. Projeto Editora, São Paulo, 1998.

BRENTANO, Telmo. Instalações hidráulicas de combate a incêndios nas edificações. 2° Edição revisada. Edipurs, 2005. Essentials of Fire Fighting and Fire Department Operations. 5th Edition. Fire Protection Publications Oklahoma State University.

FREITAS, Osvaldo Nunes de. Et alii. Manual Técnico Profissional para Bombeiro. Edição revisada. Gráfica e editora Inconfidência, 2000.

JÚNIOR, Abel Baptista Camilo. Manual de Prevenção e Combate a Incêndios. 3ª Edição revista e atualizada. Editora SENAC São Paulo, 1998.

Manual de Fundamentos do Corpo de Bombeiros de São Paulo. 2ª Edição. 2006.

Manual de Combate a Incêndio do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. Módulo I.2006.

Manual de Segurança Contra Incêndio nas Edificações e Áreas de  Risco (Manual

Técnico de Bombeiros nº 48 do Corpo de Bombeiros de São Paulo). 1ª Edição. 2006

 

Maiores informações acesse:

http://portaL.ead.senasp.gov.br

Redação Técnica – RDT

Deixe um comentário

Telecentrofoz divulga mais um curso da Rede EAD Senasp/MJ.  Inscrições abertas de 11 a 20/05/2018 e início das aulas no dia 19 de Junho.

Modalidade: a distância

Carga Horária: 60 h/a

ApresentaçãoRDTVA
Produzir textos é uma tarefa fundamental e uma demanda crescente no ambiente de trabalho. Um bom texto possui características específicas e, acima de tudo, necessita comunicar uma mensagem. Entretanto, existem diferenças entre a escrita geral, a escrita literária e a escrita técnica utilizada, principalmente, no âmbito das instituições e entre elas. Este curso aborda os padrões técnico-legais a serem seguidos na comunicação interna dos órgãos públicos. Visa criar condições para que o profissional seja capaz de: identificar-se como agente linguístico, reconhecendo as implicações de tal postura na produção de textos técnicos; reconhecer as características específicas dos principais documentos oficiais de forma a utilizá-los com proficiência; ampliar os conhecimentos sobre as questões gramaticais que mais provocam dúvidas em redações técnicas, de maneira a reconhecer a importância do uso da norma culta em textos oficiais; exercitar habilidades para a obtenção de clareza, coerência e coesão textuais
O curso se destina a qualquer profissional da área de segurança pública, bem como aos profissionais administrativos que atuam nessas instituições.

Requisitos
O curso se destina a qualquer profissional da área de segurança pública, bem como aos profissionais administrativos que atuam nessas instituições.

Recomendações
Recomenda-se que você tenha disponibilidade de 5 a 7 horas por semana para leitura dos módulos e materiais complementares, pesquisas, realização de exercícios e interação com tutor e demais estudantes

Conteúdo Programático
Módulo 1- Texto e Intenção
Módulo 2-  Redação Técnica, Científica e Literária
Módulo 3-  Revisão Gramatical

Referência Bibliográfica

BRASIL. Presidência da República. Manual de Redação da Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/manual/manual.htm. Acesso em: 4 dez. 2012.

CEGALLA, Domingos P. Novíssima gramática da língua portuguesa. Brasília:IBEP Nacional.

KANITZ, S. Como escrever um bom artigo. Disponível em: http://www.kanitz.com.br/impublicaveis/como_escrever_um_artigo.asp. Acesso em: 4 dez. 2012.

 

Para se inscrever acesse:

http://portal.ead.senasp.gov.br

Prevenção e Enfrentamento a Tortura – PET

Deixe um comentário

Telecentrofoz divulga mais um curso da Rede EAD Senasp/MJ. Inscrições abertas de 11 a 20/05/2018 e início das aulas no dia 19 de junho.

Modalidade: Curso a distânciatortura-i

Carga horária: 60h/aula

Área da Matriz Curricular Nacional: Área temática VII – Cotidiano e Prática
Reflexiva

Apresentação

Considerando a complexidade do assunto, necessário se faz conhecer e compreender os princípios e valores que a sociedade brasileira e a comunidade
internacional definiram para o conjunto da humanidade, através das legislações
vigentes que tratam do tema. Bem como, compreender alguns aspectos da
tortura na sociedade brasileira
Esse curso se compromete a identificar a tortura como uma prática histórica,
através do estudo de fatos históricos da prática da tortura no mundo e no
Brasil, abordando as legislações nacional e internacional que traduzem o
resultado do processo histórico de construção da dignidade humana.

Recomendações

O curso se destina aos profissionais da área de segurança pública e aos
profissionais administrativos que atuam nessas instituições.

Requisitos

Este curso não exige que tenham sido realizados cursos anteriores na Rede EAD Senasp.

Conteúdo Programático

• Módulo 1 – Tortura: aspectos históricos

• Módulo 2 – O Crime de Tortura: legislações Nacional e Internacional

• Módulo 3 – O contexto da tortura

• Módulo 4 – Estratégias institucionais para o enfrentamento da tortura

Referências Bibliográficas:

ABRAMOVAY, M. et alli Juventude, Violência e Vulnerabilidade Social na América Latina: Desafios para Políticas Públicas. Brasília: Unesco, 2002.

ADORNO S. Exclusão socioeconômica e violência urbana. In: DOS SANTOS, J.V.T. e BAUNGARTEM, M. (Ed). Sociologias – violências, América Latina. Revista Semestral do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, jul/dez.2002, nº 8, PP.84-135. Disponível em http://www.nevusp.org. Acesso em 05 de maio de 2014.

BEATO, PEIXOTO & ANDRADE. Crime, oportunidade e vitimização. Revista Brasileira de Ciências Sociais- Vol.19, Nº 55, 72-90, p.74

Para se inscrever acesse:

http://portal.ead.senasp.gov.br/

Prevenção da Letalidade de Crianças e Adolescentes – PLCA

Deixe um comentário

Telecentrofoz divulga cursos da Rede EAD Senasp/MJInscrições abertas de 11 a 20/05/2018 e início das aulas no dia 19 de junho.

Carga Horária: 60 h/a

Modalidade: a distância

Área da Matriz Curricular Nacional: Área temática II – Violência, crime e
controle social.

Apresentação
PLCVAA realização desse curso parte de uma premissa dramática. Para muitos especialistas o número de homicídios entre os jovens é igual ou superior ao de muitos países que se encontram, formalmente, numa situação de guerra ou de conflito armado.
A boa notícia, no entanto, mesmo num panorama tão aterrador é a de que o governo brasileiro tem proposto programas e projetos para enfrentar esta realidade.
Neste curso você irá estudar algumas destas iniciativas e sua importância para a construção de uma política efetiva no enfrentamento à violência e à letalidade juvenil. Além disso, espera-se que a compreensão do tema o ajude a aprimorar a sua atuação em situações onde risco de letalidade de crianças e adolescentes esteja presente.

Público de interesse

O curso se destina a policiais civis, policiais militares, policiais federais, rodoviários federais e guardas municipais.

Requisitos

Este curso não exige que tenham sido realizados cursos anteriores na Rede EaD SENASP.

Recomenda-se que você tenha disponibilidade de 5 a 7 horas por semana para leitura dos módulos e materiais complementares, pesquisas, realização de exercícios e interação com tutor e demais estudantes. Saiba mais sobre o curso lendo a trilha do curso, disponível nos materiais complementares.

Conteúdo Programático

Módulo 1: Letalidade de crianças e adolescentes
Módulo 2: As crianças e adolescentes expostos à letalidade no Brasil
Módulo 3: Iniciativas importantes no enfrentamento à letalidade de crianças e adolescentes
Módulo 4: Atuação policial frente a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade

Referências Bibliográficas

MENDES, Adriana O. Educação em direitos humanos no programa de proteção às crianças e adolescentes ameaçados de morte do Distrito Federal (PPCAAM-DF). Trabalho de Conclusão de Curso de Especialização em Direitos Humanos – Universidade Católica de Brasília – Brasília, 2009.

SAPIENZA, Graziela e PEDROMÔNICO, Márcia Regina Marcondes. Risco, proteção e resiliência no desenvolvimento da criança e do adolescente. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v10n2/v10n2a07.pdf

SARAIVA, João B. C. Adolescente e ato infracional. Porto Alegre: Livraria do advogado Editora, 1999.

SARAIVA, João B. C. Adolescente em conflito com a lei: da indiferença à proteção integral: uma abordagem sobre a responsabilidade penal juvenil. 2. ed. rev. Ampl. – Porto Alegre, Livraria do Advogado Ed., 2005.

 

Para se inscrever acesse:

http://portal.ead.senasp.gov.br/

Older Entries